Medicina Dentária

Categoria: 
Técnicos / Especialista: 

A Medicina Dentária é a especialidade responsável pelo diagnóstico, prevenção e tratamento dos problemas da cavidade oral, incluíndo dentes, gengivais e estruturas adjacentes. 

  • IMPLANTOLOGIA ORAL

Os implantes são peças em titânio altamente biocompativeis que vão substituir as raízes dentárias ausentes e que vão suportar dentes em cerâmica.  A ausência de peças dentárias é prejudicial à função mastigatória e estética de cada indivíduo, sendo a principal de alterações da cavidade oral. A melhor forma de substituir essas ausências é recorrendo à utilização de implantes osteointegrados. Depois da sua colocação através de uma cirurgia pouco invasiva e sem contra indicações são sujeitos a uma osteointegração de 10 semanas , durante este período podem ter dentes associados , contudo são considerados dentes provisórios, os dentes definitivos em cerâmica serão confeccionados só depois da osteointegração e da estabilização dos tecidos moles. Podem ser usados unitáriamente ou múltiplos(em ponte) em cada arcada alterando assim as características técnicas de cada prótese a aplicar. Podem substituir a total ausência de peças dentárias em cada arcada através do sistema de 4 ou 6 implantes apenas , com a aplicação de uma prótese fixa sobre eles. Essas próteses podem ser confeccionadas em metaloacrílico  ou em cerâmica e zirconia. Em qualquer dos casos há a possibilidade de confecção de uma protese provisória que vai ter uma duração até à confecção da definitiva.

Não existem neste momento limitações à colocação de implantes , apenas existem algumas cautelas associadas à utilização de certos medicamentos que devem ser avaliados e alterados ou suprimidos pontualmente,  tais como antiagregantes plaquetarios ou biofosfonatos. É de todo uma cirurgia sem contra indicações e com um pós operatório muito satisfatório e sem limitações.

  • PERIODONTOLOGIA

Periodontologia é a área da Medicina Dentária que se destina à prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças que afectam os tecidos que suportam os dentes – gengiva, osso e ligamento periodontal (fibras que unem o dente ao osso).

A acumulação de bactérias na cavidade oral pode originar uma inflamação da gengiva (Gengivite), que posteriormente se pode estender  ao osso – Periodontite. A Periodontite é uma das doenças orais mais comuns nos adultos, e que, se não for diagnosticada e tratada precocemente pode levar à perda de peças dentárias.

  • DENTISTERIA

É a área da Medicina Dentária que se dedica à restauração, atráves de materiais biocompatíveis, de dentes que apresentem lesões de cárie, fracturas ou alterações de forma ou cor, de modo a que seja restabelecido o aspecto original dos dentes, bem como a sua função.

A dentisteria inclui também uma componente estética que permite melhorar a aparência dos dentes e a harmonia do sorriso. Através desta especialidade é possível encerrar diastemas (espaços entre os dentes), susbstituir restaurações inestéticas e alterar a morfologia dentária.

FACETAS

As facetas em cerâmica são a alternativa ideal para repor a função estética e funcional. É um procedimento conservador em relação às tradicionais coroas, e uma opção mais estética às restaurações normais.

Permitem restaurar dentes fraturados, corrigir diastemas (espaços entre dentes). pequenas alterações de posição, proteger os dentes desvitalizados das habituais fracturas, e ainda eliminar a maior parte das alterações de cor e forma dos dentes.

Outra das vantagens das facetas em cerâmica é a pequena quantidade de estrutura dentária que é necessário remover para a confecção e colocação destas, a biocompatibilidade da cerâmica em relação à gengiva, e o resultado final conseguir ser o mais natural existente no mercado.

Exames necessários: OPG, periapicais dos dentes a reabilitar e fotos.

Contra indicações: Periodontite não controlada, má higiene, dentes com necessidade prévia de endodontia.

  • CIRURGIA ORAL

A cirurgia é uma área muito ampla da Medicina Dentária que se destina ao diagnóstico e tratamento de lesões e patologias da cavidade oral e estruturas anexas. Inclui diversos tratamentos, tais como: extrações dentárias, extrações de dentes inclusos (que não erupcionaram), intervenções sobre tecidos moles e duros da cavidade oral, remoção de quistos e tumores, entre outros.

A cirurgia de colocação de implantes é também um acto médico-cirurgico muito importante e cada vez mais utilizado para a reabilitação de dentes perdidos.

  • ENDODONTIA

É a especialidade da Medicina Dentária que se dirige ao diagnóstico e tratamento de lesões que atinjam a polpa dos dentes (parte mais central e profunda dos dentes onde estão localizados os nervos e vasos sanguineos). Mais conhecido como desvitalização, o tratamento endodontico estende-se até às raízes dos dentes, permitindo que estes se mantenham no seu espaço e em função.

  • PRÓTESE DENTÁRIAS (Prostodontia)

É o ramo da Medicina Dentária que permite a reabilitação de dentes outrora perdidos e, por conseguinte, o restabelicimento da função mastigatória, fonética e a estética. Existem várias hipóteses de tratamento, consoante a necessidade de cada paciente: soluções fixas ou removíveis, próteses unitárias, parciais ou totais, apoiadas sobre implantes ou sobre dentes e/ou tecidos naturais. A substituição de dentes perdidos é muito importante pois, a sua falta pode trazer repercussões nefastas para a saúde.

  • ODONTOPEDIATRIA

Odontopediatria é a especialidade da Medicina Dentária dedicada à saúde oral de crianças e adolescentes, bem como a pacientes com necessidades especiais. Tem como objectivo principal a realização de tratamentos preventivos e também, quando necessário, curativos, que permitam à criança a manutenção de uma dentição saudável até à idade adulta.

  • PATOLOGIA DA ATM (articulação temporomandibular)

A Disfunção da ATM é o funcionamento anormal da articulação temporo-mandibular, ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar-mandíbula, dentes e estruturas de suporte dentário.

Quando existe a disfunção, o paciente pode apresentar sintomas, como dor de cabeça, dor de ouvido e/ou zumbidos, dor ou cansaço dos músculos da mastigação, ruídos articulares (estalos ou crepitação) e dificuldade para abrir a boca.

Esta disfunção está relacionada a hábitos comuns, como o apertamento dentário e o bruxismo , morder objectos estranhos, roer unhas, mastigar pastilhas elasticas, postura da cabeça (para a frente), o de prender o telefone com o queixo ou ainda apresentar factores relacionados com o stress, depressão e ansiedade ou traumas.